CREPE UMA HISTÓRIA DE SUCESSO

CREPE UMA HISTÓRIA DE SUCESSO

A origem do crepe é antiga. Eles são consumidos de várias formas há muitos anos. Os crepes sempre estiveram presentes em muitas regiões da Europa e podem ser feitos com vários tipos de grãos: arroz, trigo, milho, etc. Um "galette", antigamente era uma espécie de mingau feito com farinha integral e não refinado, aberto numa fina camada e deixado ao sol para secar . Alguns dizem que o crepe nasceu quando uma mulher acidentalmente derramou um pouco deste mingau no fogão e percebeu que ele cozinhava rápido, era fácil de virar e, principalmente, era delicioso! (As melhores receitas, freqüentemente, nascem por acaso).

Historicamente, "la galette" era consumida diariamente, como o pão é hoje. A primeira receita de crepe que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1390 em um livro chamado "Manger de Paris" ("Comida Parisiense"). O autor explica como fazer crepes com farinha de trigo integral, ovos, água, sal e vinho. Eram cozidos numa mistura de banha de porco e manteiga e polvilhadas com açúcar antes de serem servidos. 


Na Europa os crepes se popularizaram muito. Este fenômeno é atribuído por alguns à Renascença e ao desejo que Victor Hugo expressou de ser um de "Les Miserables" na hora da refeição. Desta maneira, Victor e seu vizinho, Vicente da Vinci, começaram a aprimorar o crepe e divulgar o prato por toda a Europa através de uma "crêperie".

O segredo de um bom crepe começa pela massa, que deve ser fina e suave. Para obter um crepe mais suave, deixe a massa de repouso depois de preparada, por 30 minutos. Em seguida, bata mais um pouco e prepare os crepes. Neste período o glúten da farinha de trigo se ?abranda? e assim a massa dá um melhor resultado. Se ficarem grumos na preparação da massa do crepe, passe-a por uma peneira. Evite usar o liquidificador no preparo da massa.

A frigideira ideal para crepes é de ferro fundido, um bom condutor de calor, o que faz com que o cozimento se dê de modo uniforme. Recomenda-se uma frigideira de 18 e 22 cm de diâmetro .

Quando se adiciona açúcar à massa, é necessário cozinhá-la em fogo baixo. O açúcar faz a massa dourar mais rápido e as bordas podem ficar secas e escuras. Lembre-se de limpar eventuais respingos de massa da borda da frigideira, com papel toalha, se ainda estiverem moles, ou com uma espátula própria para antiaderentes.

Você pode preparar crepes com antecedência e conservar em geladeira (por até 2 dias) ou no freezer (por cerca de 1 mês). No segundo caso, à medida que for empilhando os crepes, disponha uma folha de papel-manteiga umedecida e espremida. Guarde-os em um recipiente com tampa.

CRÊPE SUZETTE - O MAIS CÉLEBRE DOS CREPES
O crêpe Suzette é uma sobremesa da cozinha tradicional francesa. O crepe Suzette é uma maneira de cozinhar os crepes, que consiste em barrá-los com uma manteiga perfumada com sumo e raspa de tangerina e um licor de laranja amarga, dobrá-los em quatro, regá-los depois com uma mistura de licores e servi-los em chama.

Num res

 

David Eleutério
Chef Professor David Eleuterio tem mais de 24 anos de experiência no ramo da alimentação fora do lar. Formado pelo Senac de Aguas de São Pedro em 1988, com licenciatura plena em Pedagogia e MBA em Gerenciamento de Projetos PMI.
Com passagem em redes de Hotéis, Restaurantes e Empresa de serviço de bordo. Especialista na área de criação, foi professor na área de gastronomia em diversas matérias nas Instituições FMU, Estacio de Sá e Senac.
Consultor Senior na divisão FoodServices na empresa Nestlé do Brasil.
Tem na sua carteira de clientes, grupos como Porcão, Viena, Gula Gula entre outros. Trabalhou junto ao Consorcio do Jogos Mundiais Militares, desenvolvendo a conceituação dos serviços de alimentos dentro das vilas militares.

Gastronomix - Inovação e Resultado em Consultoria Gastronômica.
Tel.: (21) 8895-6155 / (11) 9 5363-1457
david@gastronomix.net.br
www.gastronomix.net.br

 

 Voltar        Envie para um amigo        Imprimir        Outras Dicas