Chocolat Des Arts traz a natureza em forma de chocolate para o Natal

fiogf49gjkf0d

Chocolat Des Arts traz a natureza em forma de chocolate para o Natal
Por Glaucia Balbachan

Como uma pequena jóia gastronômica para presentear!

As primeiras aparições do chocolate aconteceram em 1500 a.C. e os responsáveis pelo feito foram os Olmecas - antiga civilização que habitava no México. Posteriormente o cacau foi aproveitado pelos Maias e Astecas em forma de bebida sagrada. O cacau depois de torrado era servido com mel e especiarias.

Chegando à Europa o chocolate era consumido apenas por sacerdotes, reis e nobres. Depois essa matéria-prima foi se popularizando e ganhando novos ingredientes em sua composição. A idéia que uniu o cacau e o leite, que é bem comum nos dias de hoje, vieram dos suíços. De clima tropical, os pés de cacau se ambientaram bem nas regiões do Espírito Santo e sul da Bahia. Atualmente os países que mais produzem ficam com a Costa do Marfim, Equador e Gana.

Para a felicidade aqueles que apreciam a qualidade de um bom chocolate gourmet - o Empratado descobriu a Chocolat Des Arts, que traz a linha especial e delicada para o Natal.

Funcionando a três anos no bairro da Vila Nova Conceição e membro da FCIA - Associação da Indústria de chocolates finos - a Chocolat Des Arts aconteceu da fusão das duas paixões da chef chocolatière e proprietária Cintia Sanches Lima. A idéia de montar a casa de delícias veio de um processo de vida que foi incluído viagens à Índia e Nepal, mudanças de área profissional, cursos de história da arte e principalmente o interesse e atração pelo cacau. Depois de assistir o filme “Chocolate” com a atriz Juliette Binoche - viu o doce de cor marrom com outros olhos e depois de viajar fazendo cursos de chocolate fora do país pôde embasar o que gostaria de fazer. “Sempre fui uma chocólatra! comia irresistivelmente um chocolatinho todo dia, sem ter noção de qualidade - era só prazer, mas depois de ter passado pelo Nepal e Índia fiquei instigada pela cultura, cores, aromas, elegância feminina, monastérios tibetanos, arquitetura e tudo aquilo me encantou e acabei unindo as artes, que eu tanto gosto com o chocolate”, conta a chef Cintia.

O conceito da chocolateria não poderia ter melhor fusão - arte e o cacau. A casa não só apresenta bombons artísticos, mas traduz a arte por meio do chocolate. Além das técnicas do trabalho artesanal, a casa de chocolates oferece matéria-prima de primeira como chocolate belga, o francês e brasileiro.

Duas vezes no ano (Natal e Páscoa) é eleito um tema artístico, onde a obra escolhida é transferida para os bombons, caixas e embalagens. Um exemplo deles foi “A árvore da Vida” de Gustav Klint no ano de 2009 e no ano passado o movimento escolhido foi a Belle Époque e sua “idade do ouro” na Páscoa. Para este Natal a Chocolat Des Arts conta com a parceira da Galeria de artes Sérgio Caribe. Foram eleitos dois artistas brasileiros da galeria, onde o enfoque foi a natureza, que é algo que se cultua na chocolateria.

Segundo Cintia o processo de criação acontece quando o tema e artista formam um elo com o tema e obra. “Alguns artistas já perceberam que o nosso trabalho está ligado à arte, então, alguns deles se aproxima. E a gente procura dar oportunidade caso o tema e a obra têm haver com o que procuramos. Nosso objetivo aqui é trazer prazer, bons sentimentos e momento acolhedor”, menciona a chef chocolatière.

O público da casa na sua maioria são mulheres, mas a clientela é variada e adulta. Pessoas que apreciam arte e bons chocolates passam pelo local para presentear, tomar um café ou chá.

Inspirado nos cafés franceses o estabelecimento de chocolates surpreende as expectativas no quesito “novidade”. Com atmosfera intimista e elegante a casa tem como atração aos olhos um cacaueiro natural no meio da loja. Como uma joalheria os chocolates são manipulados como se fossem “pequenas jóias” para degustar. Decoração contemporânea e clean cada canto do local traz bem-estar e o aroma inconfundível do cacau. A casa é dividida em dois ambientes distintos - salão principal com café e uma estante diminuta com livros de chocolate, além da área externa com iluminação natural.

Para este Natal “Empratamos” uma parte da coleção La Nature - inspirada na natureza. Entre elas a Caixa de estrelas ao leite, branco e 53% cacau, decoradas em ouro com pistache, damascos, morangos e castanhas - R$78,00 (nove unidades). Em seguida Bolas de Natal - feito com chocolate belga retrata bem uma obra de arte. São bolas marmorizadas e rendadas lembrando a terra, apresentadas em caixas que levam uma réplica impressa das obras dos artistas - R$ 69,00 (quatro unidades), além dos bombons em caixas de madeira, bolas do desejo - como um biscoito da sorte há desejos, pensamentos e frases dentro da bola com o objetivo de unir e descontrair o momento especial - R$ 22,00. Outro deleite da loja são os chás que florescem. Vindo da China, uma flor é colocada no fundo da xícara transparente e com a infusão da água quente a flor vai se abrindo delicadamente - R$16,50. Refrescante e suave a casa oferece sabores como morango, jasmim, pêssego, limão e outros.

Desmistificando o chocolate
- Como o vinho, o cacau pode variar com o terroir e uma safra sempre difere da outra. Escuta-se por aí, que o chocolate é um alimento difícil para se harmonizar - porque é trabalhoso encontrar uma bebida que seja mais doce que o chocolate, mas isso não é verdade - dependendo do corpo do chocolate é possível uni-lo com um vinho Malbec, como foi feito na Chocolat des Arts.

- Percentual de cacau não significa qualidade e sim, a presença de manteiga de cacau em sua composição. Chocolates gourmet contêm 100% de manteiga de cacau. Do contrário, as grandes indústrias de chocolate utilizam a gordura hidrogenada no lugar da manteiga de cacau. 70% de cacau com gordura hidrogenada o chocolate perde qualidade!

- No processo de secagem do cacau - suas sementes são secas ao sol (no caso do chocolate gourmet). Para as grandes indústrias do produto em questão - não se pode esperar tanto, então, as sementes são colocadas para secar no vapor - resultado: as sementes ficam porosas e com cheiro de fumaça - para disfarçarem o sabor e aroma são adicionados estabilizantes e aromas de baunilha e por aí vai...

- Chocolate de qualidade não tem nacionalidade - os franceses, belgas e suíços sempre ganharam a fama - hoje os brasileiros estão se destacando no mercado.

- Chocolate branco não é considerado um chocolate e sim um doce, pois sua composição é feita de manteiga de cacau, leite e açúcar, sem nenhuma parte de cacau nela e para ser
um chocolate o cacau tem que estar presente.

Chocolat Des Arts: Delicadeza gastronômica, brilho, trabalho singular e minucioso, e perfeição. Vale a visita!

Serviço: Chocolat des Arts
End: Rua Diogo Jacome, 360 - Vila Nova Conceição/SP
Tel. (11) 3044-7431
www.chocolatdesarts.com.br
Galeria Sérgio Caribe
Rua João Lourenço, 79 - Vila Nova Conceição - tel. (11) 3842-5135

Fotos: Márcio Palermo (Estúdio Pavão)
Bruno Pavão - www.brunopavao.com.br
http://pavaophoto.wordpress.com

 

Glaucia Balbachan
Jornalista e pesquisadora na arte do “bem comer”, pós-graduada em jornalismo gastronômico pela FAAP/ SP. Com espírito inquieto e de “disciplina Escoffiana”, ela não para nunca! Está sempre nos cafés, bares, restaurantes, bistrôs, pubs e confeitarias da cidade, para conferir e experimentar novos sabores, descobrir novas composições e pratos clássicos com apresentação repaginada. Tudo isso para contar um pouco do que acontece no universo gastronômico de São Paulo.
glauciabalbachan@uol.com.br

 

 Voltar        Envie para um amigo        Imprimir        Outras Dicas