Winestyle: Rolha de Cortiça ou Screw Cap?

POR SABRINA TRÉZZE

Polêmicas à parte, o mundo do vinho evoluiu. E uma das coisas que me faz crer na modernidade é que cresce a cada dia o número de vinícolas a adotarem a “tampa de rosca” ou “screw cap” para vedar suas garrafas. Basta observar as prateleiras de supermercados e lojas especializadas.

De acordo com a Universidade de Davis, na Califórnia, nos últimos anos, o mercado de rolhas de cortiça perdeu cerca de 20% de participação perante outras formas de se vedar as garrafas de vidro.

PRECONCEITO
No entanto, ainda há muitos receios com relação ao lacre de alumínio. Acredito na eficácia do screw cap, mas para muitos enófilos, o ato de degustar um vinho se baseia num verdadeiro ritual. No entendimento de muita gente, a magia de todo esse processo se inicia com a retirada da rolha. Sem falar que, devido à falta informação, grande parte das pessoas acaba por julgar os vinhos de rosca como sendo inferiores ou de menor qualidade.

SCREW CAP: QUALIDADE COMPROVADA
Apesar da ideia de modernidade, vale lembrar que os vinhos da Austrália, bem como 80% dos da Nova Zelândia são vedados com screw cap desde a década de 70. Além do baixo custo, sabe-se que, apesar de não ser hermeticamente fechada, a tampa de rosca separa mais o oxigênio do vinho que as rolhas de cortiça, o que favorece a conservação dos aromas do vinho, sobretudo no caso daqueles que devem ser bebidos jovens.

Por isso, enoamigos, vinhos brancos, rosés e tintos leves têm aparecido cada vez mais com o screw cap. E, sinceramente, prefiro mil vezes uma boa tampa de rosca que conserve todas as qualidades do fermentado que uma rolha de material sintético pouco confiável.

Então, viníferos, quando se trata da nossa bebida dos deuses, o tipo de rolha também depende muito do gosto de cada um. Porém, é certo que a indústria tem se voltado para materiais eficazes e com baixo custo-benefício. E isso é algo que a cada dia se torna mais presente, inclusive no cotidiano daqueles que há alguns anos nem cogitavam dar uma chance para a screw cap. Tudo porque algumas das mais admiradas vinícolas já adotaram esse recurso, sobretudo no caso dos caldos produzidos para serem degustados mais no frescor da juventude.

Sabem, eu curto uma screw cap num vinho branco ou rosé. É prático de abrir e mantém a garrafa saudável por um pouco mais de tempo depois de aberta. Mas vocês sabem que adoro colecionar rolhas, não é mesmo? Amo uma cortiça! E você? Qual método prefere? Rolha de Cortiça? Screw Cap?


Fonte: Blog Vila Vinífera - goo.gl/C2bBtL

Imagem: Wine Folly

 Voltar        Envie para um amigo        Imprimir        Outras novidades