Hotéis reduzem custos com energia solar

Segundo pesquisa, energia elétrica é a principal despesa do setor hoteleiro

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) acaba de divulgar que a bandeira tarifária na conta de energia elétrica será amarela a partir deste mês de setembro, ou seja, com acréscimo de R$ 2,00 a cada 100 quilowatts-hora (kwh) consumidos na conta de luz. Embora a tarifa tenha reduzido, os preços cobrados ainda são altos.

Um dos setores que “sofre” com a cobrança do consumo de energia é a rede hoteleira. De acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE em 2016 – Pesquisa de Serviços de Hospedagem – há em torno de 31.299 estabelecimentos no país, que possuíam 1.011.254 unidades habitacionais (suítes, quartos e chalés) e 2.407.892 leitos.

A maior parte da rede hoteleira do Brasil está no Sudeste com 41,8% dos estabelecimentos. Em segundo vem o Nordeste com 23,6%. São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia são os estados líderes em número de estabelecimentos de hospedagem e, juntos, são responsáveis por 48% do total dos hotéis.

Para driblar os custos, muitos hotéis têm buscados energias alternativas, assim como é o caso do Hotel Pousada Vale do Sol, em Pompéia –SP (foto ao lado), que investiu cerca de R$ 230 mil em energia solar (energia fotovoltaica). De acordo com o proprietário José Carlos de Sá, ele optou pelo sistema por ser uma energia limpa e pela redução de custo.

Desde que instalou os equipamentos em 2015 houve uma queda considerável em sua conta. “Chegamos a pagar R$ 8.600,00 reais por mês, e após instalação nunca ultrapassamos R$ 2.500,00”, afirma José Carlos. O sistema implantado abastece diversas atividades no hotel, como: lavanderia, iluminação externa e interna, campo de futebol, quadra de tênis, cozinha, câmara fria etc.

O projeto conta com quatro inversores da marca austríaca Fronius e com 194 placas solares.

Segundo Denilson Tinim, técnico e especialista da multinacional Fronius, os números da venda de inversores da empresa aumentaram 160% desde 2015. E um dos segmentos que ajudou a alavancar as vendas foi o hoteleiro. “Temos grandes expectativas para o próximo ano. A intenção é aumentar em 300% as vendas de inversores solares e a expectativa é que o mercado hoteleiro seja responsável por aproximadamente 30% das vendas”, comenta Denilson.


Divulgação: LN Comunicação

 Voltar        Envie para um amigo        Imprimir        Outras novidades