Dia Mundial da Alimentação: A gordura presente nos lácteos é benéfica?

No Dia Mundial da Alimentação, celebrado no dia 16 de outubro, vamos falar sobre um dos temas mais comuns e polêmicos quando o assunto é saúde e dieta: a gordura. Já ouviu falar de ácido graxo trans? E de Ômega-3? Sabe o que isso significa? Sabia que a gordura é formada por uma combinação destes ácidos? A nutricionista e consultora da Associação Brasileira de Lácteos (Viva Lácteos) Ana Paula Del'Arco dá 6 exemplos de benefícios destes nutrientes, presentes na gordura, para o organismo:

1 - Previne doenças cardiovasculares: a gordura láctea, em seu perfil lipídico, ou seja, considerando todos os ácidos graxos que compõem a gordura do leite (como o ácido alfa-linolênico, que pertence à família Ômega-3), não traz malefícios para a saúde e pode ser benéfica à saúde cardiovascular.

2 - Impede o acúmulo de gordura nas artérias: o ácido linoleico conjugado (CLA), da família Ômega-6, impede a formação de coágulos sanguíneos e também está presente na gordura dos lácteos.

3 - Reduz o colesterol: o CLA também atua na redução do colesterol total, LDL-colesterol (conhecido como mau colesterol) e triglicérides, assim como o ácido graxo oleico, que representa 25% do total da gordura do leite.

4 - É natural: quando absorvidos pelo organismo, os ácidos graxos trans naturalmente presentes na gordura do leite (da vaca) não apresentam os mesmos efeitos negativos que os ácidos graxos trans hidrogenados artificialmente.

5 - Fonte de Ômega 6 e 3: os ácidos graxos Ômega-6 e Ômega-3 presentes no leite em proporções acima da maioria dos alimentos, com exceção dos peixes, são essenciais para a nutrição. Isso porque o corpo humano não os produz, portanto é necessário consumir alimentos ricos nestes nutrientes.

6 - Gordura saturada do leite: conhecidos por aumentar o LDL-colesterol, os ácidos graxos láurico, mirístico e palmítico (que estão presentes na gordura saturada do leite), também elevam o HDL-colesterol, o bom colesterol. Ainda, um outro ácido graxo da gordura saturada, o ácido graxo esteárico, não apresenta efeito algum sobre o colesterol total.

"É importante deixar claro que nenhum tipo de gordura atua sozinha no organismo. Por esse motivo, não podemos nos relacionar com os alimentos como se estes fossem apenas nutrientes, uma vez que o comportamento destes é influenciado por diversos fatores. É sempre bom lembrar que uma alimentação equilibrada é essencial para a saúde", salienta Ana Paula.

Referências bibliográficas

1. FAO/WHO. Fats and fatty acids in human nutrition. Proceedings of the Joint FAO/WHO Expert Consultation. November 10-14, 2008. Geneva, Switzerland. 2009. Disponível em: http://www.who.int/nutrition/topics/FFA_human_nutrition/en/index.html.

2. WHO/FAO. Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. Report of the Joint WHO/FAO Expert Consultation. WHO Technical Report Series, No 916 (TRS 916). Geneva, Switzerland. 2003. 149p.


Divulgação: MslGroup Andreoli

 Voltar        Envie para um amigo        Imprimir        Outras novidades