Primeiro Fórum ESG – Resorts Brasil

Crédito/Foto: Divulgação

 

O 1º Fórum ESG foi um marco na jornada de integração e desenvolvimento de estratégias sustentáveis para o setor produtivo do turismo e o segmento de resorts no Brasil. O evento, realizado nos dias 25, 26 e 27 de junho, reuniu líderes e especialistas para discutir práticas de sustentabilidade e responsabilidade social, com visitas técnicas e apresentações focadas na agenda ESG, destaques de iniciativas já implementadas e novos caminhos a serem seguidos.

 

Primeiro Dia do Fórum ESG da Resorts Brasil Focado no Pilar Social

O primeiro dia foi direcionado às visitas técnicas em parceiros com sede na capital paulista. Começando a experiência com uma visita ao Amigos do Bem, onde os participantes tiveram a oportunidade de conhecer iniciativas de desenvolvimento econômico e social no Sertão. Seguiram para a visita técnica à Nestlé que destacou programas como o Cocoa Plan, Yocuta e Nescafé, demonstrando práticas de sustentabilidade e responsabilidade social aplicados a sua cadeia produtiva. No Instituto J&F da JBS, foi apresentado o Projeto Germinare, que enfatiza a importância da educação como vetor de transformação.

Mais tarde, Ana Paula Arbache, da Arbache Innovations, abriu o fórum com uma palestra sobre a relevância do “S” na alavancagem da pauta ESG nos negócios, destacando a necessidade de práticas regenerativas e liderança robusta para enfrentar os desafios da Agenda 2030. Ainda, a coordenadora e curadora do Programa de Formação de Talentos ESG para a Hotelaria Resorts Brasil teve a oportunidade de interagir com Maitê Teixeira – Gerente de Vendas do Cana Brava All Inclusive Resort e uma das profissionais formadas pela primeira turma do programa lançado pela Resorts Brasil em parceria com a Arbache Consulting – que apresentou o trabalho que vem sendo feito pelo resort associado na pauta ESG após a formação. A programação do dia se encerrou com a apresentação de iniciativas sociais pivotadas pelas redes associadas, Club Med e o Grupo Tauá, provando que as transformações podem ser executadas no momento presente, com organização e dedicação.

O primeiro dia do Fórum ESG 2024 foi um passo significativo para o fortalecimento da sustentabilidade no turismo brasileiro, evidenciando a importância da colaboração e da inovação para um futuro mais sustentável.

 

Segundo Dia do Fórum ESG da Resorts Brasil Focado no Pilar Ambiental

O segundo dia do Fórum ESG da Resorts Brasil, realizado no dia 26 de junho, foi dedicado ao pilar “E” (Environmental) da agenda ESG, e reuniu especialistas, gestores e parceiros do setor de resorts para discutir práticas sustentáveis, desafios e oportunidades na área ambiental.

O dia começou com a Abertura Oficial, onde Ana Biselli Aidar (Presidente Executiva da Resorts Brasil) e Carlos Jacobina (Gerente Geral do Novotel Itu Golf & Resort e VP Adm/Financeiro da Resorts Brasil) apresentaram a Jornada ESG da Resorts Brasil, enfatizando a importância do evento para a troca de experiências e a promoção de boas práticas no setor. “É uma honra sediar o Fórum ESG no Novotel Itu, compartilhando boas práticas e certificações como a Green Key. Foi um trabalho árduo, mas hoje colhemos os frutos, atraindo um público que valoriza ESG. Estou orgulhoso do comprometimento da nossa equipe em promover a sustentabilidade.”, Jacobina expressa.

A primeira palestra, ministrada por Isis Batista, Gerente de ESG e SSO do Grupo Tauá, Diretora Social do Instituto Tauá e Coordenadora do Comitê ESG da Resorts Brasil, abordou as “Mudanças Climáticas e o Desafio da Economia de Baixo Carbono”. Isis destacou a necessidade urgente de ações concretas para mitigar os impactos das mudanças climáticas e avançar rumo a uma economia mais sustentável e de baixo carbono. Sobre o evento, ela destaca: “Desenvolvimento sustentável é alcançado por meio de coalizões e associações, como exemplificado pela Resorts Brasil. A cartilha ESG e a rede de conexão do Comitê ESG orientam e incentivam os associados. O Fórum ESG é uma oportunidade para trocar boas práticas e impulsionar a agenda de sustentabilidade na hotelaria em direção aos ODS e Agenda 2030.”

Em seguida, o painel “Eficiência Energética e as Oportunidades para o Segmento Hoteleiro” contou com a presença de Dairon Grandi, Diretor de Operações do Malai Manso Resort, e de Allan Mochny, Gerente de Qualidade e Sustentabilidade do Transamérica Resort Comandatuba. A discussão destacou iniciativas de eficiência energética que têm gerado economia e contribuído para a redução das emissões de carbono nos resorts. Além da questão energética, Allan comenta sobre a relevância do engajamento no processo como um todo: “Em quatro anos na cadeira de sustentabilidade, avançamos significativamente na área ambiental, especialmente em gestão hídrica e conservação da biodiversidade. Firmamos parcerias importantes e estamos colhendo frutos em projetos de reuso de água e gestão de resíduos. Parcerias e o engajamento de todos os stakeholders são essenciais para resultados sustentáveis.”

Após um breve intervalo, Gustavo Corrêa. CSO da NAI, apresentou uma solução voltada para a sustentabilidade, com a ferramenta GRCway que veio para apoiar as empresas que estão trilhando – ou começando – esse caminho. Cássio Garkalns, CEO da GKS Inteligência Territorial, trouxe um “Panorama ESG no Setor de Resorts: Desafios e Oportunidades”, compartilhando insights valiosos sobre como os resorts podem se destacar através de práticas ESG bem implementadas. “A iniciativa da Resorts Brasil ganhou força ao se conectar a outras iniciativas internacionais, promovendo boas práticas no turismo brasileiro. Este evento é crucial para discutir e implementar práticas ESG eficazes no setor. A profissionalização do mercado e a implementação de práticas ESG são essenciais para gerar resultados significativos.”, ele ressalta.

A manhã encerrou com a dinâmica “Semeando o Futuro”, uma atividade interativa que promoveu a integração dos participantes com a natureza, por meio de um workshop de criação de terrários caseiros e o plantio de árvores nas redondezas do resort, promovido pela Fauna Urbana.

Após o almoço, a programação retomou com uma apresentação especial da Seara Food Solutions, que introduziu aos participantes o que a marca tem feito no tema ESG, trazendo também informações sobre o “Kit Festa” da Seara, já de olho nas comemorações de fim de ano. Em seguida, o tema “Gestão de Resíduos em Resorts”, foi conduzida por Rosely Ruibal, Head Comercial do Grupo Muda. Rosely enfatizou a importância da gestão eficiente de resíduos e apresentou soluções práticas para reduzir o desperdício. “Trocas de experiências são fundamentais, e eventos presenciais como este são essenciais para networking. A informalidade na coleta de resíduos é um desafio, mas práticas sustentáveis em resorts e outras áreas podem melhorar os índices de reciclagem no Brasil, atualmente baixos.”, ela coloca.

No painel “Práticas Transformadoras para um Futuro com menos Desperdício”, Eliete Ferreira, representando o La Torre Resort, e Annie Morrissey, falando pela rede Bourbon Hospitalidade, compartilharam suas experiências e estratégias para minimizar o desperdício em suas operações.

Luis Fernando, da Harus, mantenedora da associação, apresentou as soluções que a marca tem implementado em suas operações para a mitigação dos impactos ambientais dentro do fornecimento de amenidades para a hotelaria, antes da palestra de Rubens Filho, do Pacto Global da ONU, que discutiu a “Gestão de Risco Hídrico”. Rubens ressaltou a importância da gestão sustentável dos recursos hídricos, especialmente em um país como o Brasil, que possui uma vasta disponibilidade de água doce. “A Pacto foca em direitos humanos, meio ambiente e anticorrupção, com destaque para a água. O Brasil, com grande disponibilidade de água doce, enfrenta desafios de gestão hídrica. O Fórum ESG é crucial para discutir temas como economia circular e descarbonização, incorporando práticas sustentáveis no dia a dia dos resorts.”, ele reforça.

O painel subsequente contou também com a participação de João Carlos Pollak, Gerente Geral do Hotel Jequitimar Guarujá Resort & Spa by Accor, e de Daniela Rocco, Diretora de Vendas & Marketing do Costão do Santinho Resort, que compartilharam suas abordagens inovadoras para a gestão e uso inteligente da água.

O dia continuou com um segundo coffee break, seguido pela palestra de Luciana Arouca – Head de Serviços de Sustentabilidade para o Brasil e Greater LatAm da JLL –  que discutiu os “Impactos do ESG no Portifólio Imobiliário”, explorando como as práticas ESG estão transformando o setor. O evento foi encerrado com reflexões finais da Diretoria da Resorts Brasil, que reforçaram a importância da colaboração e da troca de conhecimentos para avançar na agenda ESG no setor de resorts.

Martín Diaz – Presidente Executivo da ADIT – que esteve presente no evento, deixou também sua declaração: “Fiquei impressionado com a maturidade do Fórum e a conexão dos resorts com a pauta ESG, abrangendo meio ambiente, sociedade local e inclusão. A natureza é essencial para o turismo e as ações ESG agregam valor ao setor. Vejo um futuro promissor com a integração de esforços entre ADIT e Resorts Brasil, promovendo práticas sustentáveis.”

À noite, os participantes se reuniram para um happy hour exclusivo, promovido pelo Novotel Itu, proporcionando uma oportunidade adicional para networking e troca de experiências.

 

Terceiro Dia do Fórum ESG da Resorts Brasil Focado no Pilar Governança

No terceiro e último dia do Fórum ESG Resorts Brasil (27 de junho), o foco esteve na Governança, o “G” da agenda. O dia começou com uma Visita Técnica pelas instalações do Novotel Itu, onde os participantes tiveram a oportunidade de conhecer a ETA (Estação de Tratamento de Água), a composteira, responsável pela transformação de mais de 3 toneladas de resíduos orgânicos em composto usado na manutenção dos jardins, e o processo de separação e direcionamento de resíduos do empreendimento. A visita foi encerrada com a apresentação do Queimador à Biomassa, que climatiza as piscinas e aquece a água dos chuveiros, resultando em uma economia notável de 60.921 kg de GLP e na redução das emissões atmosféricas associadas à combustão do gás.

A primeira palestra do dia, “Como tornar a estadia uma contribuição para a sociedade e o meio ambiente”, foi apresentada por Alexis Andrades, Sustainability Analyst Americas na Accor Americas. Alexis detalhou as iniciativas da Accor, a maior rede hoteleira do mundo, em coordenar a Agenda 2030. Em seguida, Leana Bernardi, coordenadora do Programa Blue Flag e do Programa Green Key no Brasil, apresentou os programas que coordena, destacando as certificações de sustentabilidade.

Na sequência, Hugo Chaves, Coordenador ESG e Social do Grupo Amarante, e Rafaela Santoro, Coordenadora Ambiental do Grupo, discutiram a “Jornada ESG e Comunicação Verdadeira do Grupo Amarante”. Eles compartilharam como o grupo tem trabalhado essa frente, seguidos da apresentação do Case – Ibiti Projeto, apresentado por Raquel Pazos, Diretora Administrativa do projeto, que falou sobre desenvolvimento regenerativo de destino.

A tarde foi marcada pela conexão de esforços individuais em uma força conjunta enquanto setor e destino Brasil, iniciando pela apresentação de Marina Barki, Coordenadora de ESG na Embratur, que falou sobre as ações da agência no Brasil, e Edson Teixeira Barros, Coordenador de Sustentabilidade e Ações Climáticas no Turismo, do Ministério do Turismo, que compartilhou os esforços de atuação do Ministério no tema.

Em seguida líderes do associativismo no turismo brasileiro participaram de um painel moderado por Juliana Betinni, especialista em turismo do BID, no intuito de destacar a maneira como cada entidade tem trabalhado o ESG em suas ações. Entre os participantes estavam Ana Biselli Aidar, Presidente Executiva da Resorts Brasil; Carolina Negri, Presidente Executiva do Sindepat; Marina Figueiredo, Presidente Executiva da Braztoa; Paulo Miguel Junior, Vice-Presidente da ABLA; e Ana Fama, membro do Conselho ESG da ANR.

Antes do almoço, Daniel Pereira, Product Manager da RX Global, organizadora da Equipotel e mantenedora da Resorts Brasil, anunciou o lançamento da Arena ESG durante os dias 17 e 18 de setembro, durante a Equipotel 2024, promovido pela Resorts Brasil e com curadoria da GKS Inteligência Territorial.

O período da tarde foi dedicado a dois workshops de cocriação simultâneos. O primeiro, “Workshop de Extração de Desafios”, conduzido pelo Turistech Hub e BID, apresentou o Desafio Inova Clima, focado em ações climáticas. Ao todo foram desenvolvidos nesse workshop 9 desafios temáticos entre em gestão de resíduos, energia e recursos hídricos que, a partir daqui, serão avaliados pelo time do Turistech para avançar à segunda etapa, de inscrições e busca ativa de startups com soluções para os desafios selecionados.

O segundo workshop, “Jornada ESG no Turismo: Uma Construção Coletiva e Colaborativa”, que uniu as lideranças das associações presentes no fórum (Resorts Brasil, Braztoa, Sindepat, Unidestinos, ABLA, ANR) além da Embratur, para discutir a visão estratégica da agenda ESG​ de cada uma dessas entidades e buscar uma atuação que sejam harmônica e convergente entre elas, pensando numa força coletiva para impulsionar a agenda 2030 através das entidades que desempenham um papel fundamental para o desenvolvimento do turismo brasileiro.

O evento se encerrou com a apresentação de Raffaele Cecere, do Grupo R1 – mantenedora e parceira de longa data dos eventos da Resorts Brasil – que destacou o projeto de gestão de resíduos em eventos do grupo, incluindo o próprio Fórum ESG.

O Fórum ESG da Resorts Brasil se destacou como um evento essencial para a promoção da sustentabilidade no setor de resorts, fomentando a troca de experiências e a implementação de práticas inovadoras e eficazes no turismo brasileiro.

A Resorts Brasil reconhece que essa missão de transformação dentro das diretrizes ESG é uma tarefa que exige o engajamento de muitos profissionais. Sobre isso, Ana Biselli Aidar, Presidente Executiva da Resorts Brasil, comenta: “Quando se fala do tema ESG não adianta nada pensarmos isoladamente o que faremos a respeito da agenda 2030. Já existe uma estratégia global e o setor produtivo do turismo brasileiro precisa se conectar a isso e desenvolver uma estratégia integrada e complementar. Esse ano realizamos o Fórum ESG, a fim de integrar o que já tem sido feito na Resorts com outras associações e com o governo, para que possamos selecionar algumas bandeiras a curto, médio e longo prazos, e caminhar juntos na agenda ESG.”

Divulgação: anagrama.com.br